Estação do Bebê Burigotto
         
Terça-feira, 22 de julho de 2014.









Quando começar a oferecer alimentos sólidos ao bebê?

   As mais recentes recomendações indicam que os alimentos sólidos devem ser introduzidos a partir dos seis meses de idade. Alguns bebês maiores talvez queiram fazer a troca antes disso. O leite materno ou a fórmula devem continuar sendo a alimentação principal de seu bebê até que complete um ano ou mais, você é quem decide.
   Esqueça o que sua mãe lhe disse, não tenha pressa para introduzir alimentos sólidos. Afinal, isso não influirá na inteligência do bebê, nem agora e nem no futuro. Dar alimentos sólidos ao bebê antes dos seis meses de idade também não o ajudará a dormir a noite toda, muitas pesquisas realizadas desmistificaram esse antigo mito. Então, não se apresse.
   
   
   Sinal verde para os sólidos
   Seu bebê pode estar pronto para comer alimentos sólidos quando:
   - mostrar interesse pela comida das outras pessoas;
   - fizer movimentos com a boca enquanto vê outras pessoas comendo;
   ainda tiver fome depois de mamar bastante ou tomar uma boa quantidade de fórmula;
   - não põe a língua para fora quando você tenta alimentá-lo com uma colher;
   recolhe seu lábio inferior quando é alimentado ao invés de empurrá-lo para fora;
   - consegue manter a cabeça reta sozinho;
   senta-se reto facilmente com um pouco de apoio.
   
   O preparo
   Os alimentos sólidos devem ser apresentados lenta e cuidadosamente, um por vez. Introduza um novo alimento a cada semana, assim poderá perceber se o bebê tem alguma reação alérgica ou se é sensível a algum alimento em particular. Como possível reação, o bebê poderá cuspir o alimento; havendo alergia, aparecerão brotoejas no rosto ou na região onde usa a fralda, ou poderá ficar com o intestino solto.
   Não adicione sal ou açúcar à comida, mesmo achando que o tempero está suave, o bebê não precisa disso.
   Comece sempre dando os sólidos em uma colher. Nunca na mamadeira.
   
   Comece com as frutas
   A maioria dos bebês adora frutas. Ofereça a ele as frutas da época e outras disponíveis no mercado. No início, ofereça-as sob a forma de sucos e, posteriormente, na consistência de papas. Não há necessidade de adoçar nem sucos, nem papas, e não há contra-indicação no uso de quaisquer frutas. Comer frutas é realmente muito saudável.
   Ofereça ao seu bebê o suco no período da manhã, entre a primeira e a segunda mamada (cerca de 120 ml.) de preferência em uma xícara. Os bebês que tomam suco na mamadeira tendem a beber muito, substituindo o leite materno, a fórmula ou outros alimentos nutritivos.
   
   
   Em seguida papas de almoço e jantar
   Os elementos fundamentais à nutrição - proteínas, gorduras, açúcares, vitaminas, sais minerais e água - devem guardar adequada proteção entre si para que haja perfeita utilização pelos órgãos e tecidos da criança.
   
   Eles deverão ser introduzidos gradualmente quanto à quantidade, qualidade e consistência. Deve-se evitar o uso de dietas muito diluídas ou volumes, pois ultrapassam a capacidade gástrica da criança. Para o conforto do bebê, coloque-o sentado em seu colo ou em um cadeirão e dê uma pequena quantidade por vez, assim ele poderá saborear e se acostumar à idéia de comer a comida e não mais bebê-la. Pode ser que ele coma pouco no início. Se ele fechar a boca ou rejeitar a comida virando a cabeça, talvez ainda não esteja pronto. Tente outra vez na próxima semana. Nunca force o bebê a comer.
   
   No preparo das papas, deve-se utilizar sempre um alimento básico - um cereal, tubérculo ou raiz. Dentre os cereais, ressaltamos o arroz ou massinha fina. Eles são uma excelente fonte de ferro e vitaminas do complexo B, bem como das calorias de que seu bebê precisa. Como exemplo de tubérculos ou raízes, citamos a batata, mandioquinha, cará, inhame, entre outros.
   
   Outros alimentos complementarão esta papa. Hortaliças (abóbora, cenoura, espinafre, acelga, entre outros), leguminosas (feijão, lentilha, ervilha), carnes (de gado ou ave) e ovos deverão ser apresentados à criança lentamente. O tempero deverá ser bem leve, principalmente em relação à quantidade de sal. Os alimentos deverão ser bem cozidos, depois amassados ou peneirados; nunca liquidificados, pois isto dificultará a adaptação futura da criança à alimentação sólida. A carne, inicialmente, será retirada após o cozimento, aproveitando-se apenas o seu caldo; em seguida, poderá ser triturada ou desfiada e misturada a papa.
   
   Mas lembre-se: o leite, de preferência o materno, será oferecido como complemento a cada refeição.
   
   (Instituto Pampers)




 Enviar esta dica para alguém
[Seu nome]
[Para qual e-mail você deseja enviar a lista]

    



centro de estudos do genoma humano Fundação Pró-Sangue
Fundação Pró-Sangue
 


Copyright © 2002 - 2014 Lojas Estação do Bebê Ltda.
Todos os direitos autorais reservados.
 
 
Buscador Google
 

site oficial da rupública federativa do brasil


Agência Nacional de Vigilância Sanitária
veja mais...


SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria
veja mais...


PROCONS MUNICIPAIS DO ESTADO DE S.PAULO
veja mais...


PORTAL DO CONSUMIDOR
veja mais...


INMETRO
veja mais...


CRIANÇA SEGURA
veja mais...